terça-feira, 31 de agosto de 2010

Quero voar, por Nandinha.

A Mamãe Silmara, nos contou essa linda história da Nandinha, 02 aninhos:


"Ela estava assistindo um DVD, viu umas meninas vestidas de borboleta e me fez pegar a fantasia dela de borboleta do último carnaval pra ficar igualzinha a elas.
Então ela pede: Mamãe, quero voar...ó mamãe, assim ( e levanta os bracinhos). 
Nandinha, mas você não pode voar, só as borboletas voam. 
Nandinha insiste: 
Mas mamãe, "qué" voar, igual "boboleta"  
E pra essa mamãe explicar!?!?! Como é maravilhoso ser criança né? Mente livre de tudo, linda e tão pura...."

Voce tem razão Sil, a pureza destas criancas nos emocionam e nos ensinam como é simples ser feliz, basta acreditar e pronto viramos lindas borboletas prontas para voar...
Amamos Nandinha e agradecemos por vocês serem nossas fãs e seguidoras!!! Nosso muito Obrigada pelo carinho, beijos Adri.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Repaginando as canções de ninar, por Bella.

Bella, 03 aninhos, ontem antes de dormir começou a cantar canções de ninar e me perguntou se o boi da cara preta era mau?

Eu disse: os bois não são maus, filha!
Então ela começou a cantar sua nova canção de ninar:

Boi, Boi, Boi, dá uma pirueta...
Para essa menina dá muita risada!!!
E emendou: Mamãe agora a menina vai dormir feliz!

Amei filha, que linda canção!!!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Ler é saber!

25.07.2010

Bebê que convive com livros vai melhor na escola

Especialistas indicam contato com publicações desde os primeiros meses de vida; ONG vai lançar guia com indicação de 600 títulos

Ler para um bebê que ainda não fala nem entende o que é falado pode parecer perda de tempo, mas diversos estudos mostram que, a longo prazo, a prática pode beneficiar o desempenho escolar. Além de adquirir gosto pela leitura, as crianças que têm contato com livros desde o berço chegam ao ensino fundamental com vocabulário mais rico e maior capacidade de compreensão e de manter a atenção nos estudos.

Para ajudar na escolha do título mais adequado para cada idade e no desafio de manter as crianças pequenas entretidas, o Instituto Alfa e Beto (IAB) apresenta na próxima Bienal do Livro de São Paulo a Biblioteca do Bebê. Além de vários livros divididos por faixa etária, o local terá voluntários que ensinarão aos pais técnicas de leitura. As principais dicas estão reunidas em uma cartilha que será distribuída aos visitantes (mais informações nesta página).

"Não se trata de ler um conto de fadas para um bebê com menos de 1 ano. Os primeiros livros devem ter apenas imagens e o tempo para folheá-los deve ser breve", explica David Dickinson, especialista em alfabetização pela Universidade Harvard. Durante a bienal, ele apresentará estudos que relacionam a leitura precoce a um maior desenvolvimento da linguagem.


Uma dessas pesquisas mostra que as crianças de 3 anos que possuem o hábito de leitura em família apresentam, aos 10, desempenho escolar superior ao daquelas que não leem com frequência.


"O importante é ler com regularidade, de preferência todos os dias, e tornar a experiência agradável", afirma Dickinson.
Os pais, diz ele, devem usar as imagens do livros como base para iniciar uma conversa com a criança. "Faça perguntas sobre a figura ou sobre a história. Não se limite a ler as palavras e virar a página", explica.


Esculpindo mentes. A interação com os adultos é fundamental para o desenvolvimento da linguagem e o aprendizado se dá pela imitação, diz o presidente do IAB, João Batista Oliveira. "Mas a linguagem oral tem um vocabulário restrito e uma sintaxe simplificada. O livro, por mais simples que seja, obedece as regras da linguagem escrita, que é a mesma que a criança vai encontrar na escola."

Se o vocabulário é o tijolo do pensamento, afirma Oliveira, a sintaxe é a argamassa. "Quanto maior o vocabulário e mais articulada a sintaxe, mais temos sobre o que pensar." Essa maior capacidade de raciocínio e compreensão favorece tanto o desempenho em disciplinas como português e matemática como nas demais.


A capacidade de se manter focada em uma atividade também é beneficiada pelo hábito de leitura, afirma Dickinson. "Quando assistimos à TV ou usamos o computador, a tecnologia prende nossa atenção. Já quando lemos um livro, precisamos fazer esse trabalho sozinhos."

Beatriz Koike, de 3 anos, parece fazer esse trabalho muito bem. "As professoras sempre comentam como ela presta atenção em sala e elogiam sua desenvoltura com as palavras", conta a mãe, Taís Borges.

Beatriz ganhou seu primeiro livro quando ainda estava na barriga de Taís. "Aos 3 meses, comprei um livrinho de plástico para ela brincar na banheira. Depois, um de pano, com texturas diferentes. Aos 2 anos, ela começou a demonstrar interesse em histórias mais complexas." Hoje, a menina tem seu cantinho da leitura com 43 títulos. "Umas três ou quatro vezes por semana leio para ela à noite. Quando não faço, ela me cobra", conta Taís.


O IAB vai lançar na bienal um guia com uma proposta ambiciosa: Os 600 Livros que Toda Criança Deve Ler Antes de Entrar para a Escola. Isso dá uma média de dois livros por semana entre 0 e 6 anos. Quem quiser cumprir a meta não pode perder tempo.


Projeto associa obras infantis a brinquedos

Ler é Saber, do Instituto Brasil Leitor, já implantou 48 bibliotecas para a primeira infância

Outra iniciativa para estimular a leitura entre crianças de 0 a 6 anos é o projeto Ler é Saber, do Instituto Brasil Leitor (IBL), que já implantou 48 bibliotecas para a primeira infância em hospitais, clínicas médicas e odontológicas, creches e escolas públicas e particulares.


Os espaços são especialmente planejados para as crianças pequenas, com móveis coloridos e sem quina e prateleiras tão baixinhas que até um bebê é capaz de alcançar. “Cada livro possui um brinquedo correspondente, que se relaciona com o conteúdo das páginas”, explica Ivani Capelosa, idealizadora do projeto.

Fantoches, marionetes, bonecos, jogos e instrumentos musicais fazem parte do acervo da biblioteca e ajudam a tornar mais envolvente e dinâmica a narração de histórias. Entre uma diversão e outra, explica Ivani, os livros acabam se tornando tão atraentes quanto os próprios brinquedos.


Além de conceber o projeto das bibliotecas, o IBL treina professores e monitores para trabalharem com todo o material.


“É comum ver crianças ouvindo ou lendo uma história com um brinquedo embaixo do braço ou no colo”, relata Luzia Fagundes, professora da Unidade Modelo de Ensino Luiza Cortez da Silva, de Cubatão. “As crianças estão muito mais interessadas nos livros bem como em outros materiais escritos. Notamos maior desenvolvimento, principalmente no vocabulário”, conta a educadora.



http://www.alfaebeto.org.br/









Fonte: O Estado de São Paulo

Um ótimo final de semana à todos e vamos ler bastante com nossos pequenos!!! beijos Adriana.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Psicotrópicos em crianças, essa moda NÃO PODE MAIS PEGAR.

08.08.2010


Droga para hiperativos tem uso banalizado
Jornal O Estado de S.Paulo

Especialistas atribuem explosão de vendas à dificuldade de diagnóstico aliada à impaciência de pais e professores.
O medicamento usado no tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) - vendido no País como Ritalina (Novartis) e Concerta (Jassen-Cilag) - está entre as substâncias controladas mais consumidas no País. Entre 2000 e 2008, o número de caixas vendidas passou de 71 mil para 1,147 milhão - aumento de 1.616%. A alta no consumo veio acompanhada de questionamentos sobre a banalização do uso do remédio à base de metilfenidato entre crianças e adolescentes.

Alguns especialistas apontam a demanda reprimida por tratamento que existia e ainda existe no Brasil como uma explicação para o inchaço nas vendas. Para outros, o fenômeno seria resultado de diagnósticos malfeitos, e crianças que simplesmente não se encaixam no padrão de aprendizagem e comportamento estariam sendo "domadas" à base de psicotrópicos.


O que alimenta ainda mais a polêmica é a dificuldade de diagnosticar o TDAH. Não há um exame definitivo. Os médicos se baseiam em relatos subjetivos de pais e professores sobre o comportamento da criança e num questionário com 18 sintomas relativamente comuns entre jovens, como falar em demasia, interromper conversas e dificuldade para esperar.

"O diagnóstico deve ser feito por um médico treinado, mas envolve também outros especialistas, como psicólogo, psicomotricista e fonoaudiólogo. É preciso descartar outros problemas de saúde que possam afetar o comportamento e o aprendizado", explica o psiquiatra infantil Francisco Assumpção, da Universidade de São Paulo (USP). "Mas muitas vezes os critérios são preenchidos pela própria escola ou até mesmo pelos pais, que me procuram apenas para pedir o remédio. Ora, não sou fábrica de receita."

Nem todo médico é tão rigoroso. O analista legislativo Luís Fernando Leite dos Santos conta que sua filha de 16 anos foi recentemente diagnosticada como portadora de TDAH por ter apresentado alterações de humor e queda de rendimento no último bimestre escolar. "A mãe procurou um neurologista já convencida do problema. Embora o relatório da escola afirmasse que o nível de dispersão nas aulas não era tão relevante, o médico receitou o remédio e ainda disse que eu poderia pegá-lo no posto de saúde", diz o pai, inconformado. "Uma adolescente que está namorando pela primeira vez tem todos os motivos para estar avoada. Mas a mãe não admite que ela repita de ano."

No caso do garoto João Petrika, de 12 anos, a simples mudança de escola fez milagres. Há cerca de quatro anos ele foi diagnosticado como hiperativo e ingressou num programa de tratamento da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Fez terapia e tomou remédios. Mas o desempenho escolar só melhorou neste ano. "Antes ele fazia de tudo para evitar a escola. Agora que mudou de colégio, tem apenas três faltas", conta o pai Antonio Petrika, segundo o qual o tratamento na Unifesp ajudou muito. Mas João, há dois anos sem remédios, tem outra explicação para a mudança de comportamento. "Gosto mais desta escola porque os professores são melhores. Na anterior, ficavam gritando o tempo todo. Eu ficava nervoso e não queria fazer mais nada."

Na moda
O TDAH é um dos transtornos mentais mais comuns em crianças e se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Estudos indicam que a prevalência na população é de 5%. Isso significa que numa sala de aula com 40 alunos, pelo menos 2 teriam a doença.

Mas em algumas escolas o número de alunos em tratamento é bem maior que o estimado. "A dificuldade de aprendizado passou a ser sinônimo de problema com a criança, quando às vezes o problema é da escola", afirma Assumpção. Escola ruim, continua, não é só aquela que não ensina direito, mas também aquela que não respeita o ritmo biológico de cada criança. "Exigir que se aprenda a escrever com 4 anos, por exemplo, é um absurdo", diz o médico.

Para o chefe da psiquiatria infantil da Santa Casa do Rio, Fábio Barbirato, os excessos existem, mas estão restritos às grandes metrópoles. "Nos locais mais pobres do País ainda há muita criança com TDAH sem tratamento", diz.

A ideia de que os jovens estão sendo supermedicados, afirma Guilherme Polanczyk, psiquiatra especialista em infância e adolescência e professor da USP, está baseada numa parcela pequena da população. "Você percebe o aumento do consumo nas classes mais ricas, que têm mais acesso a tratamento."

Tanto Barbirato como Polanczyk defendem os medicamentos à base de metilfenidato como primeira escolha de tratamento para TDAH. "Psicoterapia ajuda, mas controlar os impulsos e focar a atenção só se consegue com remédios", diz Polanczyk.

Ambos também concordam que a falta de tratamento pode deixar o doente mais sujeito a comportamentos de risco, como usar drogas, dirigir de forma imprudente e se envolver em brigas.

"Não podemos demonizar o remédio", afirma Iane Kestelman, presidente da Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA). "Quando se tem mais acesso à informação sobre a doença, é natural que se aumente o uso da medicação. Mas essa conta não deve ser paga pelo portador de TDAH."


EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS

Causas
A genética tem papel fundamental, mas fatores ambientais como fumo na gestação e baixo peso no nascimento podem estar envolvidos.

Três perfis
Há o tipo predominantemente hiperativo, outro principalmente desatento e um terceiro tipo combinado.

Gênero
O transtorno é três vezes mais comum em meninos, mas o tipo desatento é mais frequente nas meninas.

Polêmica chega à escola
É na escola, onde a criança desenvolve grande parte de seu processo de socialização, que o uso da Ritalina vem sendo mais percebido. O Estado ouviu relatos de educadores que confirmam a incidência do uso do medicamento em até 18% dos alunos de uma mesma sala de aula. Para os professores, há casos em que o remédio é realmente necessário - como nos de alunos hiperativos -, mas a banalização é uma realidade cotidiana.

"A causa disso é o imediatismo de muitos pais e neurologistas, que querem medidas rápidas", afirma Raquel (nome fictício), de 48 anos, professora de ciências de uma escola particular de classe média alta.

Alguns educadores dizem que o uso indiscriminado do remédio está vinculado à dificuldade que algumas famílias têm de impor limites aos filhos. "É comum ouvirmos coisas do tipo: "Não sei o que faço com meu filho. Ele está tomando medicação, mas mesmo assim não sei o que fazer"", conta Isadora (nome fictício), de 43 anos, professora de história do ensino fundamental .

"Ouço muitos pais falando coisas assim: "Meu filho tem 13 anos e mudou muito. Vou levá-lo ao neurologista e ao psiquiatra." Ele tem 13 anos, é claro que mudou: está na idade de ser agitado", diz a professora de história Larissa (nome fictício), de 32 anos. "Se criassem uma escola que ensinasse os pais a educarem suas crianças, seria um sucesso. Porque muitos deles priorizam a carreira e, quando percebem mudanças nos filhos, levam direto ao médico."

As escolas ouvidas pela reportagem afirmam não ser contra o medicamento - o principal desafio, segundo elas, é mostrar aos pais que é possível tentar métodos menos invasivos, como terapia e atividades físicas. "É uma questão de motivação, de incentivar a autonomia dessa criança", afirma Birgit Mobus, psicopedagoga da Escola Suíço-Brasileira.

Necessidade. "A Ritalina é uma droga que deixa dependente, além do aluno, a família e o professor. Todos se acostumam com o equilíbrio apresentado pela criança sob efeito dela", afirma Silvio Barini Pinto, diretor do Colégio São Domingos, na zona oeste paulistana. "Temos de cuidar para não favorecer sua indicação."

A coordenadora da orientação educacional do Bandeirantes, Vera Lucia Malato, concorda. "Quanto mais se retardar o uso do medicamento, melhor", opina.

Especialistas afirmam que a Ritalina não deve ser descartada quando há diagnóstico preciso. "Meus filhos sofreram demais: mudaram de escola, repetiram de ano, tudo. Comprei essa luta por eles", conta Iane Kestelman, presidente da ABDA. "A medicação, usada apropriadamente, pode ser muito benéfica."

A Ritalina melhorou a vida da filha de 9 anos da fonoaudióloga Salete (nome fictício), de 39 anos, "Ela sempre foi dispersa, mas seu rendimento na escola vinha caindo demais. Tentamos de tudo, até que foi diagnosticado o TDAH. A melhora dela é impressionante: está mais feliz e suas notas estão acima da média", conta a mãe, que, apesar de ter sido resistente à medicação, não se arrepende.

Em 2009, 527.896 caixas de metilfenidato foram vendidas em farmácias que aderiram ao programa da Anvisa de medicamentos controlados (60% do País); o dado não inclui as unidades distribuídas pelo SUS.

fonte: Jornal O Estado de S.Paulo

*******************************************************************

FICA AQUI O NOSSO ALERTA E ALGUNS QUESTIONAMENTOS AOS PAIS E EDUCADORES, PARA MEDITARMOS SOBRE ESSE TEMA:
Não são essas crianças hiperativas, crianças com muita energia, potencial, Q.I. elevado e espiritualidade?

Não estão tratando essas crianças com psicotrópicos e dopando elas, para terem mais tranquilidade e menos responsabilidade em educar ao invés de transformar essa energia e potencial em mudança e evolução?

Não estão destruindo seus chacras com drogas somente para efeitos momentâneos e a longo prazo, causando desequilíbrios emocionais e dependências químicas?

Não vieram essas crianças para destruir velhos paradigmas e ao invés de mudarmos, transformarmos, estão enjaulando-as em padrões que já não servem mais para nem um de nós?


Todos temos o mesmo desejo, ver nossos filhos e alunos crescerem felizes e bem resolvidos, serem seres humanos dignos e honestos.

TER UMA INFÂNCIA SAUDÁVEL E FELIZ É UM DIREITO DOS PEQUENOS!

Vou torcer para que essa "moda" de Abuso dos Psicotrópicos EM CRIANÇAS NÃO PEGUE!

Adriana.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

E o vento levou, por Bella.

Bella, 03 aninhos e suas famosas perguntas...

Mamãe porque o vento levou o cabelo do vovô lá na cabeça???

Respondi  para ela o que o vovô costuma falar...os vovôs são comos os bebês, carequinhas :)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Estou arrasada, por Julia.

A Julia, 06 anos, é uma verdadeira princesa e estava toda feliz, pois seria dama de honra!!!

A mamãe Araí nos contou:

"A Jujú pediu para a Vovó Iaiá e a Tia Hermínia para fazer um vestido novo bem bonito.
No dia do casamento, se arrumou toda, vestido, meia ,sapato, maquiagem e tudo o que tinha direito.
Ficou mesmo linda, uma boneca!!!

Na sala temos um espelho bem grande, ela se olhou bem, gostando do que viu e soltou:
" Nossa mãe, tô arrasada!!" (ao invés de arrasei,rs!!!)"

Jujú você é um Arraso mesmo!!!
Nós amamos sua pérola e você ARRASOU de tão linda que estava no casamento :)

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Matheus, um VERDADEIRO SUPER HERÓI!

Superpoderoso

por Mario Rodrigues


Capa da Veja - SP desta semana, Matheus, um GRANDE SUPER HERÓI!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ao ver outras crianças andando na rua, Matheus Dimitri da Silva Cavalcanti, 5 anos, disse à mãe que queria ficar bem forte para também poder caminhar: “Quero ser como o Super-Homem”. E não parou mais de falar nisso. Meses depois, no Natal, quando um dos voluntários da casa de apoio onde moram perguntou a Dimitri o que queria ganhar do Papai Noel, ele nem titubeou: “Uma fantasia de Super-Homem!”. O garoto e a mãe, Darcley Santos da Silva, vieram de Manaus, no Amazonas, há pouco mais de um ano para que ele fosse tratado pela AACD. As sessões de terapia ocorrem duas vezes por semana, e o progresso tem sido rápido — Dimitri já sente as pernas e é ágil ao usar o andador. Darcley acredita que em poucos anos verá o filho se locomover apenas com a ajuda de muletas. O menino, que estuda em uma escola da prefeitura, sofre de mielomeningocele, uma má-formação da medula espinhal causada pela falta de ácido fólico na mãe durante a gravidez. Vestido de Super-Homem, ele corre para a cama elástica e fica pulando sentado, olhando para trás para se certificar de que a capa de sua fantasia está mesmo voando.
 
Fonte: http://vejasp.abril.com.br/revista/edicao-2178/aacd-sessenta-anos
 
Quando vi o rostinho do Matheus na Capa da revista meu coração disparou de emoção!!!
 
Conheci o Matheus neste Natal na ONG que ele fica para o tratamento na AACD, ele é uma criança maravilhosa, cheio de vida e está sempre sorrindo como um VENCEDOR.
Um exemplo de vida e de esperança.
As crianças tem muito à nos ensinar: 
Não desistir de sonhar, sorrir sempre, levantar e tentar novamente, porque a vida já é uma Benção e temos obrigação de sermos felizes!
 
OBRIGADA MATHEUS, por tocar meu coração e o de minha filha.
VOCÊ JÁ É UM SUPER HERÓI!

Teatro de Bonecos, na Livraria da Vila dia 21/08/2010.
















Quando? Sábado, 21 de agosto de 2010.


TEATRO DE BONECOS: O RESGATE DOS VITAMINICS.
Com: Cia Arte&Palco
Apoio: Grupo OBA
A Vovó Pupa vai dar uma festa e convida todos os seus netos para comer doces e salgados, feitos com os legumes, verduras e frutas de sua horta e pomar. Mas quando seus netos chegam, tudo havia sumido...
Horário: das 16h às 17h
Local: AUDITÓRIO
RUA FRADIQUE COUTINHO 915 - VILA MADALENA
http://www.livrariadavila.com.br/

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Educar as Crianças de Hoje.

Como Educar as Crianças de Hoje?

O que devemos saber para não entrar em uma verdadeira guerra de poder, com essas crianças extremamente evoluídas, mas que com toda a inteligência fazem uso das manipulações de poder e acabam conseguindo tudo o que querem.
Elas precisam de limites, de diretrizes, canalizar positivamente toda essa energia e potencial, para seguirem sua vida e sua missão.

Toda flecha precisa de um arco bem direcionado e firme!

O velho paradigma da educação simplesmente não serve para as crianças de hoje, por isso não podemos usar os padrões em que fomos educados, para repetir com eles as mesmas teorias e padrões, isto percebemos na prática, não funciona!

O velho paradigma tinhas suas bases no Poder e Medo, hoje temos que usar:
Amor, Firmeza, Igualdade, Respeito, Verdade, Tranparência, Convencimento, Negociação e Humildade.

Amor e Firmeza.
Pode parecer fácil, pois amar um filho para os pais é algo natural, mas quando falamos de educação, acabamos sendo levados pelos nossos vícios de educação em que fomos criados e quando vemos já falamos, já gritamos...
A orientação tem que vir do coração,
a palavra tem que ter sentimento,
a emoção tem que ser boa e não agressiva.
Como??
Um aprender diário a falar com amor e escutar com o coração.
Quando esperneamos e gritamos é quando mais precisamos ser amados e abraçados, por isso veja o que seu pequeno está querendo lhe dizer através das travessuras, desobediências e agressividades.
Tente com serenidade perguntar o que ele está querendo, precisando ou sentindo?
Toda palavra deverá ser dita com firmeza e segurança, pois não adiantar falar e não transmitir com convicção aquilo que se está cobrando ou orientando.
Busque um diálogo com sentimento, pois essa acolhida irá transformar toda a energia que eles não estão conseguindo lidar...


Demonstre seu Amor...
Dê colinho
Segure suas mãozinhas
Faça uma massagem
Participe do banho da criança
Ouçam uma música juntos
Leiam um livro
Conte algo de quando você era criança
Lembrem-se de bons momentos juntos
E não esqueça de dizer o quanto o Ama!


Igualdade e Respeito.

Significa não se colocar como autoridade acima deles, pois eles acabam querendo nos enfrentar de frente numa luta de poder em que todos saem perdendo.
Abaixe à altura dos olhos da criança e fale com igualdade para ela e inclusive se ela esttiver certa, você tem concordar e se posicionar com firmeza, mas dizer que ela tem razão também.
Esse negócio de eu sou sua mãe ou pai e eu que mando, não leva à lugar algum...
Com Respeito mútuo, construirão bases fortes e sólidas. 

Verdade e Transparência.

 Para eles não existem meias verdades, eles sabem quando não estamos sendo verdadeiros, por isso a transparência está na frente de tudo.
Se tiver que orientar, educar, ou mesmo reprimir, tem que ser baseado em princípios éticos e fatos verdadeiros, porque senão você vai notar o olhar deles que não convenceu e pior, eles não sentirão  segurança nem confiança nas suas palavras.
Um finge que educa e outro finge que obedece...
Por isso, nada de mentirinhas, desculpas, diga o motivo, esclareça e quando tiver que dizer um não, fundamente com as consequências, os motivos enfim, sejam sempre VERDADEIROS.

Convencimento e Negociação.

Essa parte é um verdadeiro desafio e estejam prontos para negociar...
Isso mesmo, esses pequenos precisam de muita argumentação e convencimento para aceitar normas, regras e repreensões.
Não adianta querer resolver da forma mais simples, dizendo Não e Pronto!
Sim, precisamos barganhar, negociar e isso pode ser saudável se explicar sempre, que a vida é feita de escolhas, às vezes ganhamos outras vezes perdemos, mas nunca teremos tudo que queremos.
Nessas "brigas de poder", aproveitem para enfatizar o lado positivo e que se nada convencer, tire algo que eles julgam ter valor e automaticamente eles cederão.
Pois são fugazes e rápidos nesta absorção de aprendizado, é um ganha-ganha, onde ambos são recompensados com uma situação que almejam e chega-se ao equilíbrio

Por fim,  Humildade.

Temos que agradecer todos os dias pela oportunidade de sermos pais dessas crianças tão maravilhosas e especiais, temos que abrir os olhos e ouvidos para aprender tudo que eles tem para nos ensinar, pois não somos mais os donos da verdade, como foram nossos pais, somos aprendizes dessa nova vida, dessa nova época.
Com eles vamos aprender a respeitar a natureza e o próximo, a escutar com o coração,
a falar com os olhos a servir o próximo com retidão e entrega,
a não fazer diferenças entre as pessoas, a ter fé, religiosidade e espiritualidade ( independente de credos, religiões e filosofia que a família segue).
Não será mais possível viver sem Deus no coração perto desses Pequenos.

Aprenderemos a ser parceiross deles na evolução, pois por onde eles passam eles transformam, teremos que aprender a conviver com o novo e o diferente.

Veremos que eles são nossos espelhos e sempre vão refletir nossas angústias, medos, tristezas, por isso chegou a hora de se Amar, teremos que nos encontrar, nos respeitar, pois do contrário não haverá Harmonia, sim eles estão nos curando.

E temos que querer passar por esse processo de crescimento interior e evolução.

Fica aqui o nosso convite para as mamãe e papais, que olhem para dentro de si e descubram o que te faz mal, não te serve mais e vamos à luta para transformar ( rezar, fazer terapia, meditação, esporte, auto-conhecimento, homeopatia, florais, naturopatia, fitoterapia, massagens, cromoterapia, musicoterapia, risoterapia, etc, etc).

Vocês renascerão e seus filhos serão ainda mais felizes!!! 

Muito Amor, Equilíbrio, Serenidade e Paz para educá-los. beijos, Adriana.


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Divulgando, Teatro Menina da Laterna - Gratuito.

Fazendo Arte na Biblioteca - Teatro Menina da Lanterna

Núcleo São Paulo - SP
Em: 21/08/2010 - Sábado
Horário:10:30-12:00
Endereço: Espaço Sapucaia - Biblioteca da UMAPAZ. Av. IV Centenário no. 1268 (Parque Ibirapuera Portão 7A) - próximo ao viveiro Manequinho.










A biblioteca é o palco onde a arte acontece!

Momento de diversão e criatividade para crianças e adultos em uma manhã de sábado todo mês.
Proposta do projeto é levar atividades lúdico-pedagógicas para o Espaço Sapucaia - Biblioteca UMAPAZ e Aliança - através da realização de contação de histórias, teatros, circo, oficinas de trabalhos manuais, etc.


Aureni Odani, Rosemeire Laviano e Silvia Yoshimura trazem a encantadora história do caminho de busca da menina da lanterna juntamente com as oficinas de confecção de lanternas, de fiar e rodas de música.

Os eventos são gratuitos. Não é necessário fazer inscrição.

DIVIRTAM-SE!!!







terça-feira, 17 de agosto de 2010

Mamãe, onde eu estava? por Sophia.

A Sophia, 03 aninhos, tem esse nome não é por acaso, pois significa "A Sábia", ela é tão esperta que tem até comunidade no Orkut!!! Sim ela é especializada em pérolas, a sua comunidade chama FILO...SOPHIA :)

A mamãe Adriana nos contou o seguinte:
"Sophia perguntou: Mãe, quando você era pequenininha, onde eu estava?"

Eu respondi: Você estava lá em cima na estrelinha!!!"
 
Ela amou a resposta e nós também! 
Mamãe Adri é a cara do nosso BLOG e vamos amar as pérolas da pequena estrelinha por aqui também! beijinhos na linda família.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Adoro Brincos Novos, por Ana Clara.

Mamãe Juliana nos contou essa da Clarinha, 04 aninhos:













"Estávamos em uma festinha e um primo da família que é ourives, fez um brinco para a prima da Ana Clara (Carol).
A Carol não gosta de trocar o brinco e na festa, a primeira coisa que o nosso primo foi ver é se ela estava usando o tal do brinco e a Ana Clara do lado só ouvindo...
Ele pergunta para a prima: Carol, porque você não está com o brinquinho que eu te dei?
Carol respondeu: porque eu não queria trocar o brinco...
E a Ana Clara vira e responde para ele rapindinho: Ué, então porquê você não deu pra mim???"

Ana Clara é muito esperta, um brinquinho novo e lindo, vale o sacrifício de trocar :)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Bella dormindo com as irmãs...


" Isabella, 03 aninhos, pulou na cama da irmã e disse:
Mamãe quero dormir na cama com a Jac hoje.
Eu respondi: Vou colocar um colchão aqui no quarto e vocês dormem todas juntas,
aí na cama com ela Não!!!
Mas eu querooooo...insiste ela.
Eu: Bella não cabem as duas juntas!!!!
A boa capricorniana não desiste nunca e fala: Cabe sim, não está vendo estamos as duas juntinhas aqui na cama.
Eu já sem argumentos, disse: Filha cabem as duas sim, mas ela pode se virar dormindo e te "esmagar"...
Bella: Esmagar, nãoooo mamãe... eu sou muito "dura" para ela conseguir me esmagar na parede...
e todas cairam na gargalhada!

...Haja imaginação para as contestações da pequena Bella...

Aproveito a oportunidade para convidá-los para ler as próximas matérias que iremos postar sobre as crianças de hoje, como elas são e quais os desafios para educá-las, e peço que mandem suas idéias, sugestões, pois a arte de educar é algo que não temos receita, por isso vamos compartilhar experiências aqui para o bem de nossos pequenos!
beijos, Adriana.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Nova Letra do Cravo e a Rosa, por Lais.

A Lais, 03 aninhos é uma fofa e além de tudo é bailarina.

A mamãe Vivian nos contou a nova letra do Cravo e a Rosa que a Lais compôs, eu não aguentei de tanto rir, é boa demais!!!

"Eu estava escovando os dentes da Lais para ela ir para escola , quando ela disse:

Mamãe vou cantar uma música para você: 

"O CRAVO BRIGOU COM A ROSA, DEBAIXO DE UMA SACOLA
O CRAVO FICOU FERIDO E A ROSA DESEMPREGADA..."

Comecei a rir tanto que ela nem conseguiu escovar os dentes de tanto rir, mas nem sabia o porque eu estava rindo!!!"

Laisinha, você é um verdadeiro talento, essa Letra vai virar Hit aqui no BLOG!!!

Eu já tenho mãe, por Pedro!

Pedro, 03 aninhos, além de lindo é muito inteligente, olha que a sua mamãe Larissa nos contou:














"Pedro estava na festinha de uma amiga, quando a monitora que colocava fantasias nas crianças diz pra ele: Quando eu tiver um filho quero que ele seja como você.

Pedro responde: Desculpe moça, mas eu já tenho mãe!"

Adoramos Pedrinho, muito engraçado! Toda mamãe quer ter um filho assim lindo e esperto e ainda por cima, um super irmão que cuida com carinho das duas irmãzinhas, Manu e Joana.
Parabéns Lari, por essa família linda que vocês têm e aproveitamos para dar às Boas Vindas para a pequena Joana!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Vovó Sonha, por Leozinho.

O Leonardo, 09 anos, chamo de Leozinho meu príncipe, é um menino cheio de luz, serelepe e encantador, ele é meu primeiro sobrinho que paparico muito desde bebê, sou loucamente apaixonada por ele!!!
Quando ele tinha uns 05 aninhos nos deixou essa pérola...

"Vovó Sonia: Você Sonha muito??
Sonho Leozinho porque?
Porque você chama Sonha..."
A vovó caiu na risada e disse que sim, que adora sonhar! 

Leo e Mamãe Sonia, a vida com vocês dois ao meu lado é um lindo e verdadeiro SONHO.

Pérolas da Escolinha, por Tia Vivi.

Hoje a Viviane, a querida professora da Bella, VIVI, me contou essa pérola dita em sala de aula.










"Estavamos brincando com massinha na sala  e a Bella me solta:
Não sou bebê! Sou filha da minha mãe.
Então respondi: Mas Bella, eu também não sou bebê, sou filha da minha mãe
Ela ficou me olhando, olhando e soltou:
" Ah, então você é mais filha da sua mãe que eu."
Ai que graça comecei a rir na hora e ela ficou sem entender"

Incrível filha seu senso crítico de conclusão!!! A minha conclusão é que você está cada dia mais esperta estudando nessa escola maravilhosa...
Quero aproveitar para dizer o quanto amo saber que minha filha está sendo educada por pessoas especiais como você e a "Tia Eli".
MUITO OBRIGADA "Tia Vivi", por todo seu carinho e dedicação à Dona Isabella, amamos você :)



...Vocês duas estarão para sempre nos nossos corações...

Quero milho, por Rodrigo.

Olha que fofo o Rodrigo, 03 aninhos, filhos dos queridos amigos, Adriana e Ronaldo, fazendo carinha de bravo na foto!


Advinhem porquê?
"Ele estava na festa junina com os pais e queria comer milho e não tirar foto, rs.
Está certíssimo nosso pequeno!
Fala para eles Ro: Nós viemos aqui para comer ou tirar foto?
Tão pequeno e cheio de opinião, puxou à mamãe que tem fama de mineirinha e adora um milho verde!"
beijos nesta linda família.

Chuveiro ligado só na hora do banho, por Carol.

A mamãe Maricy (minha grande amiga e cumadre) tomou a maior bronca da Carol, 07 aninhos, ontem:

"Maricy: Liguei o chuveiro, sai do banheiro e fui tomar remédio...
A Carol foi atrás de mim falando assim: Mãe você está gastando água, você não sabia que chuveiro só se abre depois que tirou a roupa?
Falou e saiu...em seguida eu fui atrás dela, quando a encontrei no banheiro, ela já havia fechado o chuveiro.
Não resisti e deu um beijinho nela..."

Parabéns minha afilhada linda, você deu uma lição na mamãe hein??? Nada de deixar o chuveiro ligado no inverno para o banheiro ficar quentinho! Vamos economizar a água do Planeta.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Filme Indiano, Estrelas na Terra - Toda Criança é especial!

Adoramos essa matéria de um Blog de cinema Indiano sobre este lindo filme...

O nome completo do filme é "Taare Zameen Par - Every Child is Special", o que significa, exatamente, "Estrelas na Terra - Toda Criança é Especial".
Embora o filme fale diretamente sobre o caso de uma criança, ele é uma mensagem para o mundo sobre o verdadeiro papel de um educador e formação de um novo ser humano - veja que não digo professor, mas educador. Ao afirmar no título que toda e qualquer criança é especial, que são como estrelas na Terra, a proposta é trazer a idéia de que não podemos negligenciar a diversidade e preciosidade dos projetos de gente de nosso mundo, pois são eles que fazem o futuro.


Mas assisti ao filme sem saber o significado do título. Estava ainda na Índia quando o vi e, pior, vi sem legendas. Mas me segurei pra não deixar as lágrimas escorrerem quando o filme terminou, com vergonha de que as pessoas que estavam por perto me vissem daquele jeito. Bobagem. Nas outras vezes que assisti não deu pra segurar.

Eu vi Taare Zameen Par num momento em que minha viagem pela Índia já impunha em meu ser a necessidade de adaptar-se ao jeito indiano de ser. Eu já havia visto muito (mesmo que muito mais ainda falte por ver) e já compreendia em grande medida o que é ser indiano e fazer parte daquela sociedade tão não-fácil de se viver. Já havia visto alguns filmes indianos, antes de ir à Índia e enquanto lá estive, mas, de repente, assisti ao Taare Zameen Par. Me assustei com aquilo. O filme vai muito além de tocar na sensibilidade de ser criança e educador; ele manda uma mensagem de nosso papel como ser humano - o que na Índia não é tarefa fácil. Aliás, é bom que eu diga, poucos são os próprios indianos que realmente reconhecem o valor desse filme, muito poucos.

Em muitos momentos, Aamir Khan optou por utilizar recursos caricatos para os personagens do filme, sobretudo em relação aos professores de ambas as escolas por que Ishaan passa. Ainda que personagens caricatos possam trazer um grau de irrealidade para a trama, em Taare Zameen Par a caricatura contribui para aumentar a sensação de sofrimento, opressão e incompreensão vivido pelo garoto disléxico. No conjunto, caricaturas e clipes de música ilustram uma ficção que de irreal nada tem; qualquer semelhança entre a ficção e a vida real é mera coincidência, diz, antes do filme começar. Mas o próprio professor Ram Shankar Nikumbh (interpretado por Aamir Khan) lembra às crianças que Einstein, Agatha Christie, Da Vinci e Tomas Edison eram disléxicos e sofreram na infância - TZP é história da vida real. Antes fosse apenas ficção.

Já que citei os clipes de música, vamos falar sobre eles. Comumente, nos filmes de Bollywood, as cenas de música não costumam exatamente complementar o desenrolar da história, mas aparecem mais como um momento de entretenimento e, recentemente, de expor homens e mulheres em seu ápice de beleza corporal. As músicas nesses filmes são, no entanto, as coisas mais importantes da produção cinematográfica. Para se ter uma idéia, as trilhas sonoras são lançadas cerca de um mês antes da estréia dos próprios filmes - e esta é a principal estratégia de marketing das produtoras. Imediatamente as músicas entram na lista dos mais tocados da semana e todos cantam as trilhas dos filmes que ainda nem viram. Na Índia quase não há espaço para grupos de música, pois o que se ouve vem dos filmes, tal é o peso da produção cinematográfica indiana.

Em Taare Zameen Par, portanto, não poderia ser diferente. No entanto, há uma grande diferença na função destas músicas para o decorrer do filme e como elas são mostradas. A diferença mais importante está no fato de que não há as típicas cenas de dança dos filmes de Bollywood; as músicas aparecem como clipes, mostrando cenas que complementam a história que está sendo contada naquele momento, porém sem diálogos. A primeira a aparecer, por exemplo, mostra a rotina da casa de Ishaan. Num outro momento, Ishaan sai pra rua e anda pela cidade (Mumbai), reparando em detalhes não usuais para uma simples criança de sua idade. Neste momento toca a música Mera Jahan, que, literalmente, significa Meu Mundo. É o que Ishaan vê e reconhece como fazendo parte integrante. Ao voltar pra casa ele elabora o que viu fazendo um desenho - a criatividade artísticas em disléxicos tende a ser mais aflorada, pela sua maneira distinta com que o mundo é compreendido. A música que ficou mais famosa, porém, foi Maa, que significa Mãe, como já disse anteriormente. Quando passa essa música, Ishaan acaba de chegar no internato e sofre demais - sua mãe também. Postarei este clipe pra vocês.

Numa outra música, com o título que dá nome ao filme, vemos o professor Ram Nikumbh em seu emprego na escola pra crianças especiais e depois partindo para a casa de Ishaan, onde irá conversar com seus pais. A música é longa e tão longo é todo esse momento, mas nem percebe-se a música tocar, dada a imensidão de informações passando. Porém, o detalhe mais importante desta passagem está no que faz Ram no caminho até a casa de Ishaan, que não vi indiano nenhum fazendo e nem sequer parando para refletir sobre. No ônibus, o professor ajuda uma mãe com seu bebê; depois, na beira da estrada, paga um chá com biscoitos à criança-empregada do estabelecimento. Em outro momento, andando ao lado da feira, pega a couve-flor que cai no chão. Coisas simples, mas indianos não costumam fazer coisas simples. Simples ajudas, mas indianos não costumam ajudar.

Taare Zameen Par vem também cumprir um importante papel na sociedade indiana. Não se trata de civilizar ou ocidentalizar, mas de trazer um pouco mais de humanidade para o coração hindustani, um pouco mais do senso de individuação, que de nada tem a ver com individualização. Talvez ainda além de mandar uma mensagem sobre o papel do educador, este filme ensina antes o que é ser pai, o que significa e o que implica em ter um filho. Ram Nikumbh, contestando o que o pai de Ishaan disse a ele em certo momento, deixa bem claro o que significa a palavra "cuidar". E neste momento sublime, alerta para que não aconteça com Ishaan o que acontece com as árvores das Ilhas Salomão, que morrem após as pessoas ficarem gritando à sua volta. Aamir Khan fez uma obra-prima - e talvez a última também. Será difícil que ele faça um filme tão bom como esse de novo.
TZP arranca lágrimas até de quem nem conhecia o verbo chorar.
Não deixe de assistir.
Ibirá Machado

Aqui vai o link oficial do filme: http://www.taarezameenpar.com/











Cliquem neste link link para participar do Abaixo Assinado: Quero Taare Zameen no Brasil para assistirmo o filme!!!
http://www.abaixoassinado.org/assinaturas/assinar/4634

Fonte: http://cinemaindiano.blogspot.com/2008/06/como-estrelas-na-terra.html

Mãe serve para dar Amor, por Gio.

A  mamãe Amanda nos contou essa conversa com a Giovanna, 04 aninhos:

"Falei para ela: Gio a mãe te ama tanto que quer te abraçar até te esmagar...
Gio: Asmargar não (isso mesmo asmargar), mãe serve para dar amor, carinho compreensão, fazer leite, lavar roupa, fazer papa..."

Essa menina sabe tudo hein!!!
Abraços e beijinhos nesta linda família, Novakoski Perazzelli.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Nosso pequeno Leitor Hugo, por Tia Fabi.

Mais uma linda História da Tia Fabi...


Hugo de 4 aninhos (Morava em um Orfanato e foi adotado com 2 aninhos de idade).
"Um belo dia estávamos na piscina...eu e meu aluninho Hugo, quando perguntei:
Hugo, o que você quer ser quando crescer?
Ele respondeu: Quero ser "LEITOR" !!!
Ai perguntei novamente: Porque você quer ser "LEITOR"?
Ele respondeu: Porque gosto de ler !! hehe
Que lindooooo!!!"

Hugo, você será uma grande pessoa, porque ler é maravilhoso, enriquece nossa cultura e nossa vida. Parabéns!!!

Deus é como açúcar.

DEUS É COMO AÇÚCAR
"Um certo dia, a professora perguntou as crianças quem saberia explicar quem é Deus?
Uma das crianças levantou o braço e disse:
- Deus é o nosso pai, Ele fez a terra, o mar e tudo que está nela; nos fez como filhos dele.
A professora, querendo buscar mais respostas, foi mais longe:
- Como vocês sabem que Deus existe, se nunca O viu?
A sala ficou toda em silêncio...
Pedro, um menino muito tímido, levantou as mãozinhas e disse:
- A minha mãe me disse que Deus é como o açúcar no meu leite que ela faz todas as manhãs, eu não vejo o açúcar que está dentro da caneca no meio do leite, mas se ela tira, fica sem sabor. Deus existe, e está sempre no meio de nós, só que não O vemos, mas se Ele sair de perto, nossa vida fica...sem sabor.
A professora sorriu, e disse:
- Muito bem Pedro, eu ensinei muitas coisas a vocês, mas você me ensinou algo mais profundo que tudo o que eu já sabia. Eu agora sei que Deus é o nosso açúcar e que está todos os dias adoçando a nossa vida!
Deu-lhe um beijo e saiu surpresa com a resposta daquela criança."

A sabedoria não está no conhecimento, mas na vivência de DEUS em nossas vidas, pois teorias existem muitas, mas doçura como a de DEUS não existe ainda, nem mesmo nos melhores açúcares...
Tenha um bom dia e não se esqueça de colocar "AÇÚCAR" em sua vida...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O Super Herói da Vovó Eliza.

Tia Gisele nos contou essa história do nosso fofíssimo Murillo, 02 aninhos:

"Estava uma confusão na rua da nossa casa, quando um caminhão bateu na traseira do carro do meu cunhado.
No meio do tumulto, alguém diz que vai chamar a polícia, meu sobrinho Murillo ouvindo isso, corre pra mamãe dele Giane e diz: Mamãe, me dá a chave do portão.. eu preciso ir lá fora, ninguém vai prender minha vovó Eliza não, eu não vou deixar! "


Vovô Eliza você tem muita sorte, tem um super herói só seu!
Amamos Murillinho você com dois aninhos já sabe defender aqueles que você ama, um verdadeiro SUPER HERÓI!

Você é linda, por Vitorya.

Titia Gisele nos contou essa pérola da sua pequena sobrinha de 03 aninhos, a Vitorya:

"Vitorya falou para a mamãe Mônica: Mamãe, você é linda!

Mônica pra Vivy: Ah, obrigada filha!
Vivy responde: Não mamãe, obrigada não.. Você também!!!

Ou seja, obrigada só não vale, tem que devolver o elogio né mãe?" ( comentou titia Gi)


Adoramos Vi, quem não gosta de receber um elogio, por isso galerinha vamos retribuir os elogios que recebemos. Aproveitando...
Vitorya VOCÊ É LINDA!!!

Crianças Índigos, um lindo prefácio de Mauricio de Sousa.

Estou lendo um livro sobre Crianças Índigos, me encantei com o prefácio de Mauricio de Sousa e resolvi compartilhar com vocês.

Prefácio

Quando a Rosana me pediu para escrever este prefácio sobre o fenômeno mundial das crianças índigos, eu ainda não tinha me dado conta dessa invasão maravilhosa, silenciosa, do bem, nascendo no âmago das famílias.
Antes de ler o texto gostoso, fluido da Rosana, eu também não havia me dado conta de que teria índigos na minha família. Mas daí eu começo a juntar pontas, a fazer algumas comparações, e vejo que as  diferenças entre as crianças, hoje, vão realmente além da cor da pele, do estrato social, do nível escolar.
Diferenças que nos permitem uma avaliação mais clara, inclusive, entre o lado físico e o  metafísico.
Não tenho muito o que escrever aqui, porque o texto que vem a seguir explica, e se explica, muito bem, mas quero deixar o testemunho de que há algo acontecendo de bom com uma parte de nossos descendentes. Há uma  nova luz, um caminho aberto, uma nova  forma de interação entre nós e alguns desses seres lindos que nos vieram como filhos, netos,  até bisnetos ( no meu caso) Eles nos induzem ao diálogo, à verdade, a reflexões sobre temas que, não fossem por eles, passariam  batidos e, em  geral, carregados de preconceitos.
No lado profissional eu tenho sentido a "evolução" analisando a média de idade com que as crianças procuram e entendem nossas histórias em quadrinhos. Cada vez mais cedo. Nos meus contatos com  crianças de diversos países percebo que o fenômeno é planetário. Crianças com os olhos mostrando a transparência da alma me inquirem sobre os porquês das histórias e das atitudes dos personagens, sugerem coisas, dão toques e não aceitam o não bem explicado. Não adianta alegarmo sono, cansaço, ignorância. Criança índigo não descansa enquanto não  for atendida na sua  busca incessante da informação da  verdade, do carinho.
Estamos bem arranjados, ou a gente sobe os degraus com eles ou ficamos todos  frustados. Eles por não terem nossa compreensão e companhia, e nós porque arriscamos perder a oportunidade da evolução, da parceria, na  busca do conhecimento da alma.
Se eu tivesse visão para aura das pessoas, provavelmente enxergaria o azul do meu filho, Maurício Takeda, um jovem de 18 anos, participante de uma banda de rock e fera no computador e nos games mundiais. Desde cedo manifestou a sua vontade de debater e replica idéias em todos os níveis. Inclusive na escola, onde fui chamado muitas vezes por não entenderem suas posições, que viam como rebeldia. Justo o Mauricio, tranquilo, bondoso, artista, sensível...mas ao mesmo tempo perguntador e de opiniões firmes.
Sem dúvida um índigo.
Que por suas características me inspirou à criação do personagem "Do Contra", nas  historinhas da turma da Mônica.
Depois veio meu  bisneto mineirinho Daniel, maravilhando a família com sua inteligência, capacidade de comunicação e PORTUGUÊS CORRETO, IMPECÀVEL, AOS DOIS ANOS DE IDADE.
Sem perder o jeito infantil, das traquinagens, da ansiedade para brincar.
Outro Índigo na família.
Vamos nos acostumando com essa legião de crianças maravilhosas que sabem mexer com nossas almas tão bem quanto desvendam os meandros das máquinas, dos computadores .
Não estamos sós.

MAURICIO DE SOUSA

É com muita alegria que posto essas palavras de uma pessoa tão sábia e voltada para o Universo Infantil, como nosso querido Mauricio de Sousa.
Com isso os índigos ganham grandes aliados para levarem informações aos papais, para eles poderem ser amados, aceitos e compreendidos na sua missão.











fonte: Livro - Crianças Índigos, uma visão espiritualista, autora - Rosana Beni, Editora Novo Século.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Histórias da Tia Fabi!

A Fabi é professora de educação física, trabalha com crianças, faz diversos trabalhos voluntários com os pequenos além de ser minha amiga palhaça doutura, a Dra Lupinha (visita crianças carentes com câncer).
Ela irá nos contar aqui lindas histórias de seus aluninhos:

"Thiago, 4 aninhos, meu aluno de natação.
Eu elogiei ele nadando e disse: Parabéns Thiago, muuuuito bem!!!
Ele respondeu: Não sou eu que nado, é Jesus que me da força...
Que lindo né?! "

Thiago, cada dia mais eu vejo através do BLOG como temos muito mais a aprender com vocês do que ensinar, tão pequeninos e tão cheios de fé e humildade. Uma história de aquecer o coração...

Obrigada e esperamos mais "Tia Dra Fabi. ;O)

Ser dedo duro é muito feio, por Clarinha.


Mamãe Ju nos contou essa da Ana Clara, 04 aninhos:



"Eu e o Ri queríamos ir ao cinema e então deixei a Ana Clara na minha sogra.
Disse à ela assim: Ana Clara, você fica boazinha e obedece a vovó, está bem? Quando eu chegar vou perguntar tudo direitinho para a vovó.

E assim fomos ao cinema...Quando cheguei, beijei ela e perguntei pra minha sogra: Sogra, a Ana Clara se comportou?
E a própria Ana Clara respondeu: Mamãe, a vovó não pode falar senão ela vai ser dedo-duro e é muito feito ser isso, né?"

Isso mesmo Clarinha, cumplicidade com a vovó é bom demais e a mamãe esqueceu que na casa da vovó PODE TUDO :)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Rio de ET, por Bella.


"Bella: Mamãe eu não gosto do Rio de ET!
Eu perguntei: Que rio?
O Rio de ET cheira mal, não gosto do cheiro dele.
Ahhh...sim o Rio Tietê, rs.
Infelizmente filha ele é muito poluído pelo homem, por isso o cheiro é ruim, jogam muito lixo dentro das águas,  mas perto da casa da Bisa ( Igaraçu do Tietê e Barra Bonita) ele é bem limpinho...
Bella: Lá mamãe eles não sujam ele né?

Com certeza filha, precisamos cuidar da natureza como fosse nossa própria casa, sem poluição e sem sujeira. "
foto: Vista do Rio Tietê límpido, de Igaraçu do Tietê ( cidade da minha amada Avó Paterna, Maria) e do outro lado do rio a cidade de Barra Bonita.


segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Nada de brigas, por Ana Clara.

A mamãe Juliana, nos contou essa lição de Harmonia, da nossa estrelinha Ana Clara, 04 aninhos:







" Eu estava falando com o Ricardo ( papai da Clarinha) em um tom meio alto e a Ana Clara que estava por perto, chega se mete no meio de nós dois e diz com uma cara de mãe e com o detinho apontado:
Vocês dois não sabem, que as pessoas não podem brigar?
As pessoas devem se divertir, brincar de polly, mas brigar nem pensar, hein!!!
Saiu andando e nós dois olhamos um pra cara do outro e começamos a dar muita risada!!!"


Muito bem Clarinha, nada de brigas entre papai e mamãe, vamos conversar e darmos muitas risadas juntos.

Obrigada Ju por nos beneficiar com essa história, pois aqui lembraremos como as crianças cristais são pacificadoras e vieram mesmo mudar nossas vidas.

Eu desejo à esta linda família, muito Amor, Paz e União e não vai ser nada difícil com a Clarinha ao lado deste maravilhoso casal. bjs nos três!

Amiga dos Cachorrinhos, por Marya Antonia.

Gisele, é dessas titias apaixonadas pelos seus sobrinhos e hoje nos contou a pérola da sua sobrinha encantadora, Marya Antonia, 04 aninhos:

"Marya fala para Vovó Eliza quando esta lhe contou que o cachorro Taily tinha morrido: Vovó, eu já sabia que ele tinha morrido.
Vovó perguntou: Mas como você já sabia?
Marya responde com toda naturalidade de uma criança: Eu liguei aqui e a Toula (poodle da titia Gi) atendeu e me contou, ora! "

Viu só como essa menina além de linda é evoluída, Marya é super amiga dos cachorrinhos e me pareceu bem tranquila com a notícia. Temos muito o que aprender com você :)

Parabéns Marya Antonia  e obrigada Tia Gi, por compartilhar conosco esses momentos inesquecíveis!!!

Filhos Gênios, por Gio

Olhem o que nossa pequena Giovanna, 04 aninhos nos contou:

Depois do soninho da tarde, ela acorda e conta para mamãe...
Mamis sonhei que tinha filhos GÊNIOS...

Mamãe Amanda: Nossa que legal filha... Eles eram muito inteligentes né?!
Gio: Não mamis, era aqueles GÊNIOS* QUE NASCEM IGUAIS!


*(Legenda: GÊMEOS)


Adoramos, muito boa para animar nossa segunda-feira!!!

domingo, 1 de agosto de 2010

Novas Palavras, por Bella

"Temos um vizinho que tem 04 quatro cachorros que latem à beça...
Ontem à noite a Bella me chama e diz:
Mamãe não consigo dormir com essa Latideira."

Pois é Bella, parece mesmo o barulho de uma britadeira de tantos decibéis que os cãezinhos fazem, por isso nada melhor que chamar de Latideira.
Vamos anotar, mais uma nova palavra para nosso Dicionário Kids.