quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Alimentação na Gestação, por Fabiana Borrego.

Dicas Preciosas para uma Gestação e um Bebê saudável!

Todos já decoraram que uma alimentação saudável e balanceada é fundamental para o desenvolvimento e crescimento pleno do bebê que ainda está dentro da barriga da mamãe. Além de fazer bem para o bebê, evitará que a mulher engorde muito e sofra com as consequências do aumento de peso como pressão alta.

Então, o que comer?

A gestação é uma fase de diversas mudanças para a mulher e a alimentação deve acompanhar estas mudanças.
É muito importante que a gestante tenha em mente que ela deverá comer para dois
e não por dois!
A dieta nessa fase deve ser adequada para evitar problemas futuros como diabete gestacional e hipertensão arterial.
Seu regime alimentar deverá fornecer a quantidade correta de proteínas, carboidratos e gorduras e também é necessário prestar atenção para não ocorrer carência de minerais e vitaminas essenciais para a gestante, tais como ferro, cálcio, iodo, vitamina A e C.
O que a gestante ingere nos nove meses de gestação determina, de modo significativo, o tamanho e o estado nutricional do bebê, tanto ao nascimento quanto em sua vida subsequente.

Pode parecer difícil se alimentar corretamente,
mas não é!
Importante fazer as três grandes refeições (café da manhã, almoço e jantar) e nos intervalos, pequenos lanches, como boas porções de frutas, cereais e leite ou derivados.
Os intervalos não devem ultrapassar de 4 horas, para evitar a hipoglicemia, muito perigosa nesse período, pois os baixos níveis de glicose podem desencadear um trabalho de parto precipitado.
O importante não é ficar “beliscando” o dia inteiro, mas ter um controle desses horários. Nesse período da vida ao contrário do que muitos pensam, as necessidades nutricionais devem ser aumentadas em apenas 300 calorias por dia, em caso de gestante de um único bebê, já as de gêmeos 1200 calorias por dia.

Muitas gestantes acabam abolindo carnes e alimentos gordurosos, o que se deve fazer é melhorar a qualidade das gorduras ingeridas e não deixar de consumir carnes, principalmente a vermelha, por conta do grande aporte de ferro presente no alimento, a gestante deve apenas ficar atenta ao tipo de carne, preferir com menor teor de gordura, pois a gordura (dar preferencias as boas ômega-3 e 6, poli-insaturadas e monoinsaturadas) promove o desenvolvimento adequado dos nervos e ajuda a prevenir complicações na gravidez.

Estudos mostram que o consumo de alimentos ricos em ômega-3 por gestantes, evita o riso de pré-eclâmpsia, reduz o risco de um parto prematuro e pode auxiliar a evitar que o bebê desenvolva hipertensão arterial no futuro.

Então, aposte sempre em um prato colorido, quanto mais cores mais vitaminas e minerais.
Lembre sempre de fazer as refeições em lugares tranquilos e tenha disciplinas nos horários, uma alimentação correta gera uma gestação e um bebê mais saudável.




Créditos da Foto