terça-feira, 20 de novembro de 2012

Caixinha de perguntas por Adriana Perazelli.

 
Texto da Coluna na Editora Cuca Maluca Produções

Link do texto:
http://www.cucamaluca.com/caixinha-de-perguntas
 
Minha filha de 05 anos me chega com a seguinte proposta:
- Mamãe, eu quero fazer uma caixinha de perguntas. Coloco alguma pergunta que você não sabe responder e você procura a resposta no computador!
 
Não contive a risada, pois na hora me lembrei do meu melhor amigo Google, ele sabe tudo, ou quase tudo que pergunto.
 
Agora, o mais importante disso tudo é que toda criança passa pela fase “perguntadeira”.
Essa fase dos porquês costuma aparecer por volta dos 03 ou 04 anos de idade e demora um pouco mais dependendo se sua criança é curiosa como a minha.
 
É fascinante a vontade que os pequenos têm em querer descobrir o mundo. Nessa fase de desenvolvimento isto acontece, pois as crianças adquirem a noção do seu EU, da importância de sua existência e passam a querer entender tudo que se passa ao seu redor ou às vezes eles nos fazem perguntas só mesmo para ter nossa atenção.
 
Em todas as hipóteses a melhor é quando respondemos com atenção, ainda que seja: Essa eu não sei, mas vou me informar e te respondo ( e corre lá no Google). E além de atenção ter muita paciência com a criança, que às vezes emenda uma pergunta na outra.
 
Uma dica é responder com outra pergunta, para fazê-la pensar ou remeter algo que ela já conhece.
 
Participar dessa fase vai ajudá-los a compreender melhor o mundo externo e estimulando a vontade de aprender.
 
E se a criança fica estimulada a aprender melhor para ela que ficará estimulada a estudar, ler e observar os fascínios da vida e do mundo.
 
Eis que a caixinha me vem com a seguinte pergunta:
- Mamãe, quando você morrer, você pode nascer de novo como minha mãe?
 
Está achando que essa caixa de perguntas é coisa fácil de responder?
Aguardem que contarei mais das perguntas de filha.
 
Adriana