quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Crônicas de uma Mãe-Coruja, Minha filha lê pensamento.


Toda noite leio para minha filha antes de dormir.

Ontem aconteceu algo interessante no momento da leitura:

Isabella: - Mãe deixa eu advinhar que livro você pegou para eu ler...

Ela acerta o livro, sem ver...

Isabella: Nossa mãe, acertei! Viu só, eu vi seu cérebro.

Eu sei lê pensamento, viva!

A percepção extrassensorial (além dos nossos 05 sentidos) das crianças de hoje é impressionante e tenho certeza que isso não foi fruto da imaginação dela.
 
Nossos pensamentos de alguma forma podem ser captados, através das ondas que emitem em uma frequência mais sutil.
 
A ciência por sua vez, já avançou estudos nessa área e é sabido que isso não é algo sobrenatura, é tão somente uma faculdade paranormal que algumas pessoas têm mais desenvolvidas que as outras.
 
O ponto aqui não é discutir ciência ou religião, mas sempre o que pode ser útil para as crianças e com esse diálogo aprendi a seguinte lição:
 
Somos o que pensamos!
 
Sabe quando nós agimos de uma forma, mas lá encondidinho em nossa mente, pensamos de outra forma.
 
Com essas crianças de hoje isso é impraticável, elas podem não ler nosso pensamento como minha filha fez, mas sem dúvida elas sentem a divergência do que falamos e sentimos.
 
As crianças são dotadas dessa percepção em maior grau, pois eles vivenciam e sentem sem distinção sem uma mente que interfira tanto
( infelizmente algumas crianças perdem isso ao longo da vida adulta).
 
Então, nos resta sermos sinceros o tempo todo com eles, e claro, com nós mesmos.
 
Se estamos tristes, estamos tristes. Não é preciso viver uma felicidade inventada para os filhos nem poupá-los das circunstâncias e problemas.
Claro que pode ser filtrado, mas nunca negado.
 
Quando vamos educá-los é primordial que realmente tenhamos firmeza nas palavras e em atitudes claras, pois a grande dificuldade em educar as crianças de hoje está em não termos firmeza e pior, eles saberem que por dentro estamos morrendo de peninha.
 
As mentiras, nem pensar!
 
Então, para o bem deles, vamos exercitar essa força interior, já que educar é a maior prova de amor que podemos dar-lhes e aprender a selecionar e doutrinar melhor nossos maus pensamentos.
 
E sorte a deles por serem capaz de ler todos
os bons pensamentos e sentimentos!
 
 
Adriana